11 de nov de 2015

3 Vezes em que o Machismo levou uma Rasteira da Sociedade

Atualmente o Feminismo vem ganhando cada vez mais espaço e notoriedade na nossa sociedade. As mulheres estão começando a lutar pelos seus direitos, deveres e principalmente contra o machismo que ainda é tão presente e repugnante. Porém, acima de tudo o que o feminismo luta, ou qualquer outra causa/movimento social, tem algo maior no qual merece atenção: o respeito. O feminismo é importante e necessário, mas acredito que o machismo não apenas ofende apenas as mulheres, assim como também a maioria dos grupos sociais, pois o machismo não é simplesmente um ódio voltado apenas para as mulheres, mas sim, voltado para a sociedade em geral, sem o mínimo de respeito com o próximo. Pois bem. A cultura machista ainda persiste, apesar de tudo, mas se teve um ano que não foi fácil para os machistas, foi 2015. O ano em que o feminismo veio com mais força, mais notoriedade, o ano em que as mulheres decidiram não se calar, o ano em que os homossexuais ganharam o apoio de uma boa parte do mundo, o ano em que o discurso de ódio foi desconstruído palavra por palavra... Não foi um ano fácil para os machistas de plantão e nem deveria ser e duvido que voltará a ser. Pensando nisso tudo, fiz uma pequena - mas importante - lista de três momentos em que o machismo levou uma bela rasteira da sociedade, recentemente. 

Quando o ENEM trouxe á tona a PERSISTÊNCIA da violência contra a mulher. 
Acima de tudo, não é um tema apenas feminismo ou voltado para as feministas de plantão e todo aquele blá blá blá que ouvimos dos homi. Violência é questão de respeito pelo próximo. O caso é que a violência contra a mulher tem tomado proporções assustadoras nos últimos tempos e soma uma parcela grande e vergonhosa só em nosso país. A palavra-chave, eu diria, foi a PERSISTÊNCIA. Não é apenas questão de violência contra a mulher, mas acima de tudo, o que as mulheres já conquistaram e continuam conquistando dia após dia, por que, diabos, continuam as agressões contra as mulheres APENAS por serem mulheres? Por que, apesar da Lei Maria da Penha, as mulheres continuam sendo oprimidas pelos seus companheiros, amigos, familiares ou um estranho qualquer? Por que continuam sendo vítimas de uma violência desenfreada pelo simples fato de serem mulheres? A cultura do estupro e do machismo são dos importantes exemplos do porquê continuamos a sofrer por conta do nosso sexo. Mas o melhor? Ninguém poderia passar por cima dos direitos humanos, defendendo a violência ou fazendo apologia a tal coisa. E cá entre nós: dificilmente algum machista conseguiria dizer o contrário sem zerar. Ponto pro respeito - pro MEC! 

Quando Jout Jout fez um escândalo - e te convenceu a fazer o mesmo! 

Júlia, aka Jout Jout, - dispensa apresentações, acredito eu - fez o vídeo do ano, eu diria. Com tanta gente ainda criticando o feminismo e nos mandando calar a boca, eis que vem Jout Jout e cala a boca de todos os machistas, fazendo um escândalo e jogando no ventilador de forma clara, explícita e gritante tudo aquilo o que gostaríamos de dizer. Não bastou o vídeo apenas explicar algumas formas de assédio de forma clara, como também abriu a mente e os olhos das pessoas que já foram assediadas em algum momento da vida e com isso, abrindo os olhos daqueles que diziam que o feminismo não era necessário/importante e que tudo não passava de coisas da nossa cabeça. Assim como também ela deixou claro o fato de que, infelizmente, assédio já não é mais uma novidade em nossa sociedade, mas isso não anula a importância de ter que lutar contra isso. E ainda como se não bastasse todo um vídeo triste e incrível, Jout Jout soltou a frase do ano: "Silêncio nenhum vai te proteger de absolutamente nada". Tem que fazer escândalo sim! 


Quando as mulheres se uniram contra Eduardo Cunha! 
O caso mais recente - e muito importante - que vem acontecendo nos últimos dias são os protestos das mulheres contra Eduardo Cunha. Resumindo: Cunha colocou para jogo um projeto de lei - absurdo - no qual caso aprovado, dificulta o aborto legal, inclusive e principalmente, em casos de estupro. Além disso, também dificulta o acesso á pílula do dia seguinte entre outros, o que é um absurdo também. Pois bem, a lei ainda está só no projeto e claramente as mulheres, as únicas que podem - ou que poderiam - opinar a respeito, já se mostram totalmente contra, o que é totalmente compreensível e correto. Não acredito que a lei será aprovada, mas caso seja - um belo retrocesso pro país -, as mulheres não vão ficar caladas como muitos machistas esperam. Muito fácil querer falar de algo que não diz respeito a ninguém mais além da mulher. Mas como Jout Jout disse, não vamos ficar quietinhas, vamos fazer um escândalo! 

2 comentários:

  1. Nossa o tema do Enem foi surpreeende, sério. Calou a boca de muito gente, o pior é que me dava raiva ficar vendo alguns tipos de comentários. Não tinha visto esse vídeo da Jout Jout!

    Beijos, Love is Colorful

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem me fale, um tema tão real e pesado e ainda assim muito gente continua com ideias pré-históricas... Triste isso.
      Beijos :*

      Excluir

Obrigada por comentar ❤️